Conecte-se Conosco

Música

Banda virtual brasileira CriaZ do Bit critica a indústria musical em novo single, “Isso Não É Hit”

Publicado

em

Ouça o single “Isso Não É Hit”

São Paulo, 30 de novembro de 2023 – CriaZ do Bit, primeira banda virtual brasileira que conta com nomes como Pablo Bispo e Ruxell, produtores e compositores responsáveis por alguns dos maiores sucessos de Anitta, Gloria Groove, Ludmilla, IZA, Pabllo Vittar e Pedro Sampaio, na produção musical, lança hoje (30) o seu mais novo single: “Isso Não É Hit”. A faixa chega acompanhada de um lyric video, que poderá ser assistido no canal oficial do projeto no Youtube a partir do dia 07/12. CriaZ do Bit é formada pelos personagens Alice, Caramelo e Tilt. Quem dá vida aos personagens é o próprio Pablo Bispo, como Caramelo (um cão que é MC), a cantora Thamy Mangia como a humana Alice, e Sabrina Azevedo como a robô Tilt. 

Com uma letra divertida e ácida, “Isso Não É Hit” traz uma mistura de funk e rock com um refrão “grudento” (como, ironicamente, todo bom hit deve ter): “E eu cantei pra ela e ela disse / Isso não é hit / Isso não é hit e ninguém vai gostar”. Esta faixa é o segundo lançamento do projeto CriaZ do Bit, sucedendo o EP “Faya Baby”, lançado no final de outubro e que trouxe duas faixas: “Faya Baby” e “Olho do Furacão”. 

“Quando eu e Pablo nos juntamos pra criar ‘Isso Não É Hit’, foi um sentimento muito maneiro de ser resgatado, pois tivemos grandes inspirações em bandas que a gente já consumia na nossa adolescência como Mamonas Assassinas, Raimundos e Smash Mouth”, conta Ruxell. “A gente acha que misturar o baile funk com o rock pode trazer uma sensação subversiva de uma nova estética sonora, fortalecendo ainda mais a inovação que o CriaZ do Bit vem propondo na música urbana e esperamos que, no mínimo, as pessoas se divirtam e deem boas risadas com algumas brincadeiras que fizemos com a indústria da música”, completa o produtor reconhecido no universo do rap e do funk, que já desenvolveu trabalhos com grandes nomes da música brasileira como Anitta, IZA, Lexa e Rashid.

“Na letra, a gente quis fazer uma crítica à toda indústria da música, de gravadoras, empresários, aos próprios artistas, todo mundo que está em volta e que pensa que a música se resume a um hit”, afirma Pablo Bispo. “Em função do hit, todo mundo fica meio blindado de ser feliz, de fazer o que ama, porque estão todos nessa loucura de achar uma parada que não depende da gente. Então a gente quis criticar e expor essa realidade de uma forma ácida e bem humorada. Nós recebemos guias de artistas de vários lugares de um determinado gênero e a galera, antes de mandar o material, já fala ‘isso é hit, isso é hit’, sem a música ter saído. Então você não tem como saber, né?”, completa o produtor musical e compositor que conta com mais de vinte bilhões de plays em suas criações.

O projeto CriaZ do Bit conta com estratégia de marketing musical e distribuição digital feita pela aceleradora Atabaque e foi desenvolvido como um conceito inovador no território nacional, explorando as fronteiras entre cultura e tecnologia, trazendo o que há de mais novo no mundo da música. “Isso Não É Hit” chega acompanhada de um lyric video desenvolvido por uma equipe de modeladores e animadores 3D que também fazem parte da empresa gaúcha Little Devil Company, feito na plataforma “Unreal Engine”.

Em um mês de lançamento do seu EP de estreia, “Faya Baby”, o CriaZ já soma aproximadamente mais de 100 mil ouvintes mensais apenas no Spotify. Além disso, os clipes das duas faixas já acumulam mais de 1 milhão de views apenas no YouTube e o conteúdo das redes sociais combinadas da banda somam mais de 3 milhões de views até o momento.

O idealizador do projeto, João Luccas Caracas, do estúdio criativo de bandas e narrativas digitais Drywet, explica a ideia do vídeo: “Para o lançamento de “Isso Não É Hit”, levamos os CriaZ do Bit ao espaço, cenário principal da jornada da banda. Eles param para reabastecer a nave e aproveitam para comer em uma cafeteria ao estilo dos anos 50 americanos, onde realizam uma performance da música. Desta vez, a ênfase é na banda tocando para um pequeno e desinteressado público, refletindo a realidade de muitos artistas no início de suas carreiras, algo que eu já vivenciei. Acredito que, independentemente do tamanho ou interesse do público, o artista deve sempre se esforçar para dar o seu melhor, como se estivesse diante de um estádio lotado.  De certa forma, tentamos passar essa mensagem”, completa.

Este é apenas o início da jornada do CriaZ do Bit e muitas novidades estão chegando. João adianta: “Os planos futuros para os CriaZ incluem desenvolver ainda mais a narrativa de suas missões e lançar novas músicas que misturam gêneros de maneira inusitada, mantendo sempre o elemento surpresa, ousadia e a diversão nas letras”, finaliza.

CriaZ do Bit

Era uma noite como outra qualquer quando Alice encontrou uma luz enigmática em um beco da cidade. Essa luz revelou um cão com olhos cheios de histórias intergalácticas: Caramelo. Juntos, começaram a elaborar sonhos grandiosos unidos por sua paixão em comum: a música.

Sentindo a necessidade de aprimorar seu som, se inspiraram nas relíquias do ferro-velho do avô de Alice, dando vida a Tilt, uma maravilha mecânica que pulsa com ritmo. Tilt não é apenas uma máquina, mas a representação viva de sua união e amizade.

Com Tilt ao seu lado, o trio se aventura por palcos universo afora, ganhando reconhecimento em todo o cosmos. Enfrentam desafios, rivais e a própria natureza de serem de mundos distintos. No entanto, sempre retornam ao essencial: sua amizade e a música que os uniu, mostrando que a harmonia pode ressoar através de universo

Acompanhe a jornada do trio enquanto a história se revela através de suas páginas nas redes sociais.

CONFIRA A LETRA DE “ISSO NÃO É HIT”

Escrita por Pablo Bispo e Ruxell

 

Creio que descobri

O segredo pra fazer um hit

É só falar que é hit

Como os que vejo por aí

 

Pra que pensar num riff

Se no final eles só querem

Chartear teu bife

Requentando o que eu já comi

 

Fui numa gravadora e disse eu tenho o hit do verão (do verão)

Ouvirão no inverno também

 

Eu fui entrando sem convite mas com o hit do verão (do verão)

 

Nem deram play até o fim

A mentalidade é sempre no dindin

 

E eu cantei pra ela e ela disse

Isso não é hit

Isso não é hit e ninguém vai gostar

 

Cantei pra ela e ela disse

Isso não é hit

Isso não é hit e ninguém vai gostar

 

Mas pra ser hit no Brasil só falta bunda

Ela faz mágica, ela faz

Mas pra ser hit no Brasil só falta bunda

 

Fui numa gravadora e disse eu tenho o hit do verão (do verão)

Ouvirão no inverno também

 

Eu fui entrando sem convite mas com o hit do verão (do verão)

 

Nem deram play até o fim

A mentalidade é sempre no dindin

 

E eu cantei pra ela e ela disse

Isso não é hit

Isso não é hit e ninguém vai gostar

 

Cantei pra ela e ela disse

Isso não é hit

Isso não é hit e ninguém vai gostar

Links CriaZ do Bit:

Spotify 

Instagram

Youtube 

TikTok

Música

Neste sábado(24), tem o Pagode do Sombrinha no Casarão do Firmino na Lapa

Publicado

em

De

Abertura com os Grupos Bigua e Ato Lek e nos intervalos tem a DJ Nicolle Neumann

Neste sábado (24), a partir das 17h, tem show do cantor Sombrinha no Casarão do Firmino, que fica na rua da relação – 19, com aquele esquema que você já conhece. Você paga um valor colaborativo, na maior casa de samba do centro do Rio.

E uma dica: Cheguem cedo porque a casa lota, pois a procura pelo evento é muito grande e você não vai ficar de fora né?!. Te esperamos! Abertura do evento com os grupos Bigua e Ato Lek e nos intervalos a DJ Nicolle Neumann animando a galera!

Sombrinha. Não há quem ouça esse nome que não se recorde de algum sucesso que lhe marcou a vida em algum momento.

Cantor, compositor, musicista, artista completo.

Com a música correndo em seu sangue, Sombrinha desde novo vive e respira samba: autodidata, aos 16 anos já tocava sete cordas profissionalmente. Aos 18 anos, gravou seus primeiros trabalhos, acompanhando Baden Powell e os Originais do Samba. Dominou como poucos instrumentos de corda, sobretudo cavaquinho, violão, banjo e bandolim. Dois anos depois, já estava no Rio de Janeiro brilhando, ao lado de nomes como Almir Guineto, Jorge Aragão e Neoci, o movimento musical revolucionário que daria origem ao Grupo Fundo de Quintal, conjunto musical do qual foi cofundador. Não somente, como músico destacou-se na parceria com Arlindo Cruz, acumulou dezenas de discos gravados, conquistou 10 prêmios Sharp de Música e escreveu mais de 500 canções, entre elas sucessos como “O show tem que continuar” (Sombrinha / Luiz Carlos da Vila / Arlindo Cruz); “Ainda é tempo de ser feliz” (Sombrinha /Arlindo Cruz / Sombra). “Além da Razão” (Sombrinha / Sombra / Luiz Carlos da Vila), “Fogo de Saudade” (Sombrinha/ Adilson Victor) e incontáveis canções, regravadas por nomes como Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Chico Buarque e Alcione, dentre muitos outros.

Um “Palácio do Samba”, como é popularmente conhecido, localizado no berço da boemia carioca, no bairro da Lapa, entre o Centro e a zona sul do Rio de Janeiro, o Casarão do Firmino é conhecido pelas tradicionais rodas de samba que reúnem grandes nomes do cenário musical, pessoas de todos os cantos do Rio de Janeiro, além de turistas brasileiros e estrangeiros.

O idealizador do Casarão é o empresário Carlos Firmino, de 42 anos, que dá nome ao espaço cultural, que ocupa uma área coberta e ampla, de fácil acesso, situada na efervescência cultural do Rio. O Casarão também é símbolo de resistência. Os eventos buscam resgatar a essência do samba, com entradas gratuitas ou colaborativas, em que cada frequentador contribui se quiser e com quanto puder. O principal objetivo é manter vivo o ritmo que mexe com pessoas do mundo inteiro.
“Amarra a marimba e espalha a fofoca!” O bordão já é uma marca. A expressão criada por Carlos Firmino para divulgar as atrações do Casarão, hoje, é repetida por artistas e frequentadores assíduos do espaço mais concorrido da boêmia Lapa. E não apenas a frase ganhou fama. A fila que se estende pela rua da Relação e toma a calçada da esquina, na Lavradio, reforça que o Palácio do Samba é ponto de encontro de cariocas e turistas.

Aliás, o local parece estar mesmo na moda. É cada vez mais comum encontrar no estacionamento decorado – são samambaias, lâmpadas, placas e pinturas que celebram orixás e homenageiam Nelson Mandela -, atores, atrizes, jornalistas, influenciadores digitais e grandes nomes do mundo do samba. Recentemente, Moacyr Luz, Xande de Pilares, Pique Novo, Sombrinha, Feyjão, Jorge Aragão passaram pela casa.

Vinny Santa Fé, Délcio Luiz, Gabriel da Muda, Nego Álvaro, Toninho Geraes e Serginho Meriti também estão sempre presentes e são sinônimo de sucesso de público. O grupo Arruda é outra atração que atrai fãs de todos os cantos da cidade, assim como o Pagode da Beta, potência dessa geração que não deixa o samba morrer.

SERVIÇO
Pagode do Sombrinha no Casarão do Firmino Abertura do evento com os grupos Bigua e Ato Lek e nos intervalos a DJ Nicolle Neumann
DATA: 24 DE FEVEREIRO, SÁBADO
LOCAL: Rua da Relação, 19, na Lapa
HORARIO: A partir as 17h
ENTRADA COLABORATIVA

Continue lendo

Música

Músico e Influenciador Gito Sales Processa o Instagram por Suspensão de Conta

Publicado

em

De

No desenrolar de uma reviravolta digital, o renomado músico e influenciador Gito Sales moveu um processo contra o Instagram. No dia 24 de janeiro, Sales foi surpreendido por uma mensagem da plataforma, informando que sua conta, @gitosales, com mais de 186 mil seguidores e um vasto acervo de mais de 8 mil fotos e vídeos, havia sido denunciada por suposto uso indevido de imagem.

Com uma trajetória consolidada ao longo de anos na rede social, Gito Sales se viu subitamente confrontado com a suspensão de sua conta, em meio a uma alegação questionável. Em resposta, o músico não hesitou em buscar reparação legal, exigindo a recuperação imediata de sua conta original e uma compensação por danos morais, estimada em 20 mil reais.

A conta de Gito Sales era mais do que um simples perfil nas redes sociais; era um registro detalhado de sua vida, uma espécie de agenda visual que documentava sua jornada artística e pessoal. Além disso, a conta servia como uma fonte de renda, através de parcerias e publicidades, inclusive para a própria plataforma.

Enquanto aguarda uma resolução judicial, Gito Sales se viu forçado a recorrer a um perfil alternativo, @gitosales1, como medida temporária para manter contato com seus seguidores e preservar sua presença online.

A comunidade digital aguarda ansiosamente o desfecho desse embate entre o renomado artista e uma das maiores plataformas de mídia social do mundo. Estaremos atentos para atualizações sobre o caso.

Continue lendo

Música

Vitor Ribeiro, o DJ de Maringá, Lança “Time Machine” e Brilha no Cenário da Música Eletrônica

Publicado

em

De

O Talento Musical de Vitor Ribeiro Alça Voo com seu Novo Single, Deixando sua Marca na Cenário Eletrônico Nacional

O cenário da música eletrônica no Brasil está prestes a ser revolucionado com o mais recente lançamento de Vitor Ribeiro. Seu novo single intitulado “Time Machine” não apenas evidencia a evolução artística do músico, mas também o coloca em destaque no cenário eletrônico nacional.

Vitor Ribeiro tem conquistado uma base sólida de fãs ao longo dos anos, animando as pistas de dança das melhores casas noturnas da região. Agora, com “Time Machine”, ele está dando um passo ousado rumo ao reconhecimento em todo o país.

A música, que combina batidas cativantes, synths envolventes e uma atmosfera futurista, reflete a habilidade única de Vitor em criar experiências sonoras que transcendem o convencional. “Time Machine” não é apenas uma faixa, mas uma jornada musical que transporta os ouvintes para um universo vibrante e eletrizante.

O lançamento do single vem acompanhado de uma campanha estratégica nas redes sociais, onde Vitor Ribeiro tem interagido de forma próxima e pessoal com seus fãs. A resposta tem sido incrível, com elogios à ousadia e inovação presente em “Time Machine”. O DJ não apenas se destaca como um produtor musical, mas também como um artista que compreende a importância da conexão direta com seu público.

Em uma entrevista exclusiva, Vitor compartilhou a inspiração por trás de “Time Machine” e suas expectativas para o futuro. “Essa música é um convite para uma viagem sonora. Quero que as pessoas se percam na batida, esqueçam o tempo e se entreguem à energia única que a música eletrônica pode proporcionar”, revela o DJ.

Com o lançamento de “Time Machine”, Vitor Ribeiro projeta uma ascensão ainda maior no cenário da música eletrônica brasileira. Seu talento autêntico e sua capacidade de inovar certamente o colocarão no radar de amantes da música eletrônica em todo o país. “Time Machine” não é apenas uma faixa; é a afirmação de Vitor Ribeiro como um nome promissor e inovador na cena eletrônica nacional.

Para mais informações entre em contato:

Agência: SEO NOTÍCIAS  @googlenoticias

Whats app: +55 44 3200-1392

 

Continue lendo

Destaque