Conecte-se Conosco

Saúde

Congresso de Parkinson online reúne maiores especialistas do Brasil para discutir reabilitação

Publicado

em

– Nos dias 15, 22, 29 de junho e 1 de julho, o evento que contará com a participação de mais de 30 especialistas de várias disciplinas poderá ser acompanhando virtualmente por profissionais, estudantes, familiares e pacientes;

– Entre os temas abordados estão o diagnóstico, tratamento, novos medicamentos e tecnologias para reabilitar pacientes;

Mais de 30 dos maiores especialistas brasileiros se reúnem em junho para discutir reabilitação de pacientes com Parkinson e distúrbios de movimento. Médicos, fonoaudiólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos e terapeutas ocupacionais vão tratar de temas que vão desde as bases do diagnóstico até cuidados paliativos, passando por novos medicamentos e tecnologias aplicadas para o tratamento cirúrgico. Realizado nos dias 15, 22, 29 de junho e 1 de julho, o 1º Reabilita Parkinson poderá ser acompanhado por profissionais de saúde, estudantes, familiares e pacientes que tenham interesse no tema.

O evento é totalmente online e as inscrições já podem ser feitas pelo site.

A doença voltou a ser notícia no último mês com o lançamento do documentário Still: Ainda sou Michael J. Fox, em que o ator canadense, famoso pela trilogia De Volta para o Futuro conta como viu sua vida mudar por causa do diagnóstico da doença. O filme está disponível na Apple TV+.

“O Parkinson, assim como outros distúrbios de movimento, não tem cura, mas o tratamento por meio de uma equipe multidisciplinar pode ser a grande oportunidade de melhorar a qualidade de vida desses pacientes e mantê-los com uma vida ativa e de convívio social prazeroso”, afirma a fonoaudióloga Roberta Busch, presidente do congresso.

A médica neurologista Mariana Moscovich, ativa nas redes sociais com informações relevantes direcionadas aos pacientes, vai falar sobre novos medicamentos e possibilidades terapêuticas para aliviar sintomas motores dos pacientes.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que aproximadamente 1% da população mundial com idade superior a 65 anos tem a doença. No Brasil, estima-se que 200 mil pessoas sofram com o problema.

O tratamento da fisioterapia com o uso da neuromodulação será abordado pela fisioterapeuta Carolina Souza, mostrando que essa nova tecnologia, é bastante promissora para melhorar o equilíbrio e a marcha dos pacientes. Na programação de pré-congresso, já disponível para os inscritos, a fonoaudióloga Elisabete Carrara de Angelis, também falou sobre a técnica aplicada para melhorar a fala e a deglutição.

Os neurocirurgiões Lorena Broseghini e Murilo Marinho vão apresentar as indicações, contraindicações e os benefícios da implantação do Estimulador Cerebral Profundo (ECT), também conhecido como DBS (Deep Brain Stimulation), um procedimento cirúrgico que prevê a introdução de eletrodos em uma área específica do cérebro e que, cada vez mais, vem sendo aprimorado para a individualização das funções do paciente.

Além dos 12 painéis que acontecerão durante o evento, os participantes também podem acessar os painéis de discussão com especialistas de várias disciplinas, que já estão disponíveis no pré-congresso.

Conheça todos os palestrantes e a programação completa: https://reabilitaparkinson.curseduca.pro/events/reabilitaparkinson

Fontes
Dra. Mariana Moscovich
Neurologista com treinamento em distúrbios de movimento na Universidade da Flórida (EUA) Doutorado em ciências da Saúde na Universidade Federal do Paraná. Professora assistente no Departamento de Neurologia da Universidade da Flórida. Autora do livro “Descobrindo a doença de Parkinson”. Fundadora do Curso DBSexpert. Membro titular da Academia brasileira de neurologia.

Carolina Souza
Fisioterapeuta, Especialista em Neurologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Mestre em Neurociências e Comportamento pelo Instituto de Psicologia da USP. Doutora em Ciências pelo programa de Neurologia da Faculdade de Medicina da USP.  Pesquisadora do Grupo de estudos dos distúrbios do movimento do Hospital das Clínicas Faculdade Medicina da USP

Fonoaudióloga Roberta Busch
Mestre em Neurociências pela UNIFESP-EPM; Sócia-diretora do CAAD (Centro de Atendimento Avançado em Disfagia); Professora do Instituto CRIAP, Porto, Lisboa

Dra. Lorena Broseghini Barcelos
Especialista em Estimulação Cerebral Profunda (DBS – Deep Brain Stimulation) para tratamento da Doença de Parkinson, Distonia e Tremor Esssencial. Mestre em Ciências Humanas, Parkinsonismo atípico pela Unifesp e Doutora em Deep Brain Stimulation pela Unifesp.

Dr. Murilo Marinho
Neurocirurgião Funcional
Clinical fellowship Montreal Neurological Institute

Fonoaudióloga Elisabeth Carrara de Angelis
Mestre em Distúrbios da Comunicação Humana pela Universidade Federal de São Paulo, Doutora em Fonoaudiologia pela UNIFESP e Terapeuta de voz, fala e deglutição pelo Hospital A.C.Camargo.

Dr. João Carlos Papaterra Limongi
Doutor em Neurologia pela Universidade de São Paulo. Neurologista do Grupo de Distúrbios do Movimento do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro Titular da Academia Brasileira de Neurologia.

Dr. Henrique Ballalai Ferraz
Professor Livre-docente de Neurologia da EPM/UNIFESP. Chefe do Setor de Distúrbios do Movimento da EPM/UNIFESP

Continue lendo
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Dr Victor Gebrim especialista em Mentoplastia a cirurgia que tem a finalidade de aumentar, reduzir e remodelar o queixo

Publicado

em

De

Mentoplastia é a cirurgia que tem a finalidade de aumentar, reduzir ou remodelar o queixo, visando melhorar a harmonia facial. Este procedimento costuma ser realizado após o crescimento facial completo, que costuma ocorrer após os 16, 18 anos.

A cirurgia de Mentoplastia é comumente associada à Rinoplastia, proporcionando um equilíbrio mais harmônico da face e resultados mais satisfatórios. A Mentoplastia pode ser realizada por diferentes técnicas, conforme a necessidade e desejo do paciente.

Para o aumento do queixo, é possível a realização com preenchimento de ácido hialurônico ou enxerto de gordura, com a utilização de implantes (próteses) de silicone, ou polietileno poroso (Porex ou Medpor), ou com o avanço ósseo.

A cirurgia plástica do queixo é considerada um procedimento cujo pós-operatório é, praticamente, indolor e de rápida recuperação. Nos primeiros dias após a cirurgia pode haver um pouco de inchaço, equimoses (roxos) e incômodo na região do queixo e pescoço.

É aconselhada uma dieta com alimentos frios, líquidos e pastosos nos 3 primeiros dias, progredindo nos próximos dias. Após 1 semana, já é possível retomar a rotina de trabalho ou estudo — entretanto, as atividades físicas devem aguardar pelo menos 3 semanas.
É orientado ao paciente que realize compressas frias na região do queixo e pescoço, durma de barriga para cima, além de evitar a exposição direta ao sol por 30 dias.

Os pontos não precisam ser retirados, pois são realizados com fios absorvíveis, sendo degradados pelo próprio organismo. O resultado final é obtido entre 3 a 6 meses após a realização da cirurgia.


Endereço:
CLÍNICA FK – Av. Pres. Juscelino Kubitschek, N°1545 – Conj. 117/118 – Vila Nova Conceição, São Paulo (SP).
CEP: 04543-010

Continue lendo

Saúde

Alerta do Dr. Josué Montedonio: Modismos em Cirurgias Plásticas Podem Deixar Cicatrizes Permanentes

Publicado

em

De

O caso recente da modelo Jessie Carr, que se tornou viral após uma cirurgia plástica malsucedida, ressalta um debate importante sobre os riscos das intervenções estéticas que se tornam modismos devido à influência de celebridades e influenciadoras.

Jessie Carr submeteu-se a uma série de procedimentos para levantar o olhar, incluindo a popular técnica conhecida como “Fox eyes”. No entanto, o resultado final a deixou comparada ao personagem Megamente, com suas têmporas visivelmente inchadas e uma testa que parecia dobrar de tamanho.

O cirurgião plástico Dr. Josué Montedonio adverte sobre os perigos dos modismos em cirurgias plásticas, enfatizando que a aceitação de nossas imperfeições é fundamental. Ele destaca que, embora o desejo pela perfeição seja compreensível, é importante entender que modismos são passageiros, mas as cicatrizes podem ser permanentes.

“Se aceitar não é se conformar”, ressalta o Dr. Montedonio, destacando a importância de avaliar todas as consequências antes de se submeter a qualquer procedimento estético. Ele enfatiza a necessidade de uma abordagem holística que inclua uma dieta saudável, mudança de hábitos de vida, cuidados com a pele e exercícios físicos.

O especialista alerta que a ilusão criada por influenciadoras e modelos na internet pode levar as pessoas a decisões precipitadas e irreversíveis. O fenômeno “Fox eyes”, por exemplo, pegou muitos de surpresa, levando a uma corrida aos consultórios médicos sem uma compreensão adequada dos riscos envolvidos.

Em última análise, o Dr. Montedonio destaca a importância de tomar decisões informadas e conscientes quando se trata de procedimentos estéticos, priorizando a saúde e o bem-estar a longo prazo.

Instagram: https://www.instagram.com/jmontedonio?igsh=NmlrbnA3NGQxeG9h

Continue lendo

Saúde

Desafiando os padrões: Além dos valores de referência na saúde

Publicado

em

De

Dr. Marcelo Antonio destaca a prática comum entre os profissionais de saúde de avaliar exames dentro dos valores de referência padrão. No entanto, ele levanta questionamentos relevantes, como a variação individual nos níveis de testosterona e vitamina B12. A indagação central é se uma pessoa com valores dentro da faixa de referência é tão saudável quanto outra com valores mais elevados ou se há necessidade de uma abordagem personalizada.

O médico enfatiza a importância da prevenção para evitar intervenções futuras, defendendo a autonomia na gestão da própria saúde. Destaca que a inflamação crônica pode impactar significativamente a perda de peso, indo além da simples manutenção de uma alimentação equilibrada. O ambiente em que vivemos, incluindo relacionamentos e ambiente de trabalho, também é considerado, com o aumento do cortisol associado ao estresse sendo identificado como um obstáculo ao emagrecimento.

O médico destaca a relação entre o consumo de álcool e o processo de emagrecimento, ressaltando a importância de considerar o impacto da ingestão de bebidas alcoólicas, mesmo em quantidades aparentemente moderadas. O alerta é feito com base em cálculos simples sobre o consumo mensal de cerveja, destacando como esse hábito pode afetar os objetivos de perda de peso.

Dr. Marcelo Antonio conclui, mencionando a necessidade de avaliar diversos fatores que contribuem para o processo inflamatório, a fim de garantir uma abordagem de emagrecimento sustentável e promover a remissão de condições associadas, como a obesidade.

Instagram: drmarceloantonio

Continue lendo

Destaque