Conecte-se Conosco

Entretenimento

niLL apresenta curiosidades no faixa a faixa do O Resgate do Maestro

Publicado

em

O novo álbum do MC e produtor niLL, “O Resgate do Maestro” conta a história de um robô que chega à Terra para explorar as emoções de seus habitantes, misturando a música com um mundo fantasioso. A concepção do robô como personagem, que representa todo o projeto do álbum, desde a identidade visual até a sonoridade, como responsável pelo resgate cultural da música através dos alto-falantes que o caracterizam, é o início de uma ideia de niLL para ser trabalhada em série. 

Ouça aqui

Em um trabalho que integra música e arte gráfica, feito em parceria com o artista Cosmar, a identidade visual explora ferramentas de modelagem 3D misturadas a cenários do mundo real. Nas 12 faixas, niLL retrata a busca por sentimentos e conexões humanas, descrevendo cenários em beats de artistas convidados como Lossio, Bonbap, Pedro Gabriel, MC Luanna, e Duda Raupp. 

Vem saber um pouco mais sobre as faixas e algumas curiosidades de O Resgate do Maestro: 

3.0

3.0 apresenta Maestro, começando a sua missão, através da sonoridade de introdução, que passa a sensação de que estamos presenciando o início de algo importante. 

Curiosidades:

A maior novidade na faixa é niLL tocando baixo. “Estou estudando baixo. Já estou aplicando ele nas músicas”. Com produção musical de Duda Raupp e as linhas de violino levaram 6 horas para ser gravadas pelo Mbeatzz.

A faixa teve a participação do Amiri, que é xará de niLL (os dois se chamam David/Davi). “A gente compartilha o mesmo nome, já vem criando uma amizade faz tempo, além de ser meu rapper favorito, então é uma faixa muito significativa”. 

O nome 3.0 é uma referência a idade atual de niLL: “tenho trinta anos, então, acho legal colocar o nome da faixa com alguns acontecimentos pra gente meio que anotar a linha do tempo assim, saca?”. 

SONY
O sample único com a introdução do PlayStation 1 é não só um protesto ao materialismo da sociedade, mas também um incentivo à busca pelas conquistas: “Muitos falavam em dinheiro, o que importa é poder tê-lo”. 

Curiosidades:

O sample com a abertura do PlayStation 1 é inédito. “Isso que é louco, ninguém fez um som com com a abertura do Play 1 no mundo, tá ligado? Parei pra pesquisar, fui olhar. As pessoas usaram o do Play 2,que é mais fácil de manusear”. 

“Esse aí é o que eu tenho mais orgulho e é o que deixa o disco à frente de todos os álbuns do Brasil: tem um beat que é exclusivo no mundo.

O QUE SERIA DE NÓS? 

Produzida pela dupla Deekapz, a faixa remete de forma esperançosa e leve ao fim da pandemia. Vemos Maestro refletindo sobre como seriam suas relações em nosso mundo.

Curiosidade:

Essa faixa abre uma sequência que se complementa em sonoridade e temática, com as três próximas músicas.

MANGA E MAÇÃ

Com o toque do beatmaker Lossio, a faixa retoma o tom de esperança e trata do otimismo de se estar junto, com a casa cheia, a leveza das companhias de pessoas amadas. 

Curiosidades:

Muita gente questiona se o nome da música é “Mangá e Maçã”. niLL explica e passa a receita:

“Não, é manga e maçã, porque é uma mistura, né? Corta um pedacinho de manga, corta um pedacinho de maçã, mistura num pote, come de manhã, toma água, isso daí é o manual da vida eterna, pra você fazer o elixir da saúde”.

18 HORAS DE LUZ 

A faixa relembra o período em que estivemos em lockdown, ao falar de sentimentos muito vivenciados nesta fase, como saudade de outros tempos e lugares, de distâncias e conexões a serem (re)construídas.  

MAESTRO

Fechando a primeira parte da jornada do robô e a sequência iniciada em O Que Seria de Nós?, a faixa prepara o ambiente para a segunda parte do álbum. Beat contínuo e repetições curtas na letra retratam a sensação de perda e melancolia.

OMINIPOTENCE

Com beat charmoso, que reúne baixo pulsante e sax estrelado, Ominipotence fala sobre amor próprio e a importância de amar o que faz, o que já conquistou. Nesta etapa do álbum, Maestro parece já entender de forma mais madura os sentimentos e as relações.

Curiosidades:

Ominipotence é um poder que uma personagem de Boruto “EIDA”, ela tem a capacidade de mudar sua percepção, trocar o que é visto. “Tipo assim, se você viu um quadro que é branco, a hora que ela usar essa omnipotência, você vai ver esse quadro preto. Você vê uma pessoa ali, uma mulher, ela usou a omnipotência, na sua percepção se verá um homem”. 

A voz doce de Aura, do 2:22, no refrão, acabou ilustrando na música esse efeito. “Ele tem essa voz diferenciada. E aí alguns amigos acharam que era uma mulher, normal acontecer isso com pessoas que não tem muito conhecimento na música. Então foi bem legal a gente ter escolhido esse nome pra essa música, porque fez total sentido”.

MEIA MILHA

Parceria com MC Luanna, Meia Milha é uma afirmação de protesto diante da amarga realidade enquanto pessoa preta, que mesmo tendo condições financeiras e ascensão social, ainda é alvo do racismo. 

Curiosidades:

Também produzida por Deekapz, a faixa mostra a criatividade de niLL, que usa referências dos games para falar de temas como racismo, desigualdade social, marginalização: “se nos deram nível hard, trouxemos memory card (item utilizado no playstation 1 e 2 para salvar o progresso no jogo)”.

ZERO ZERO 7 

Na faixa instrumental, que funciona como interlúdio ambientalizador, niLL vem resgatando o house, gênero que nasceu negro e foi perdendo a identificação até os dias atuais. 

Curiosidade:

O som ficou tão bom no instrumental, que niLL descartou a possibilidade de incluir vocais, com medo de “estragar”. “Ninguém poderia cantar nela, nem me atrevi a colocar voz nela”.

SOL

A parceria com Bonbap traz forte sonoridade nordestina, com direito a rabeca e triângulo, em ritmo de baião, fazendo uma crítica aparentemente sutil, porém potente, ao governo durante a pandemia. A letra recorda a fome, o descaso e a subversão de valores da humanidade durante o período.

Curiosidades:

A música parece inspirada na obra de Chico Science – e é mesmo. “Fui estudar muito Chico Science para poder escrever essa faixa”, conta niLL, que quase não usou o beat criado por Bonbap, mas felizmente mudou de ideia. 

Quando a faixa foi escrita, Bolsonaro estava no poder, e a letra reflete muito de como niLL via essa época, politicamente: “o poste tá mijando no cachorro, a banana tá comendo macaco, então tava tudo meio ao contrário no meu ponto de vista”.

CITY HUNTERS

Com Jota Ghetto e James Ventura, City Hunters aborda mazelas sociais bem tradicionais do rap, como a vida no gueto, violência urbana e policial, drogas e miséria. Maestro conhece os sentimentos provocados por essas situações, como a raiva.

Curiosidades:

O sample é do anime Hunter X Hunter, um dos preferidos de niLL. “A trilha sonora é incrível, então peguei um pedaço dela, coloquei uma bateria mais golden era e parece que deu certo, todo mundo tá gostando dessa música!”.

Esse foi o primeiro beat que niLL tocou e gravou a linha de baixo, algo que deu um toque especial no fim da produção.

SIMPLES

Com uma pegada clubber, a faixa fala de amor, intimidade e desafios cotidianos das relações. O robô está disposto a amar, mas lidando com isso com a mesma impaciência e com as dúvidas que vivenciamos. É um encerramento com sonoridade sensual e intimista da primeira saga de Maestro na Terra.

Entretenimento

Andressa Devillo estreia como repórter no Agito na TV na festa do ator Simone Susinna

Publicado

em

De

Andressa Devillo entrevistando o ator Simone Susinna - Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda - Divulgação

Andressa Devillo em sua primeira matéria pelo Agito na TV, cobrindo o aniversário do ator Simone Susinna. o ator escolheu o Brasil pra comemorar seus 30 anos em grande estilo na casa Sphera Lounge, localizado no Jardins.

A festa contou com várias celebridades, e entre os convidados, Andressa pode entrevistar a ex-BBB Key Alves, Amanda Souza e Verônica Brito do Casamento às Cegas 2, as cantoras Ingrid e Erica Mantovani, Michelle Heiden – Miss Brasil, Carolina Montemor – Streamer, Isabela Crociolli – Lifestyle, entre outros.

Na ocasião o ator Simone Susinna chegou de Ferrari acompanhado do seu irmão Danilo Susinna, além da companhia do amigo Dr. Viotto, responsável pelas lentes e harmonização facial de vários artistas famosos, inclusive do próprio Simone Susinna.

Andressa Devillo e a Ex-BBB Key Alves - Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda - Divulgação

Andressa Devillo e a Ex-BBB Key Alves – Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda – Divulgação

“Quando esse homem chegou, confesso que fiquei super nervosa (risos). Ele é mais gato ainda pessoalmente, e eu adoro homem perfumado, com aquele olhar matador, Bah Tchê, só por Deus”, contou Andressa.

Na entrevista com Simone, Andressa perguntou o por que ele escolheu o Brasil para esse momento tão especial do “trintou” e Simone respondeu:

“Desde criança eu tenho uma conexão muito forte com o Brasil. Sinto uma energia peculiar por esse País. Eu amo o jeito como os brasileiros me tratam, e aqui eu me sinto em casa”, relatou o ator.

A entrevista já pode ser conferida no YouTube no canal do Agito na TV, ou basta clicar abaixo:

Aproveitem pra seguir o perfil do Programa Agito e também da repórter no Instagram: @andressadevillo @agitonatv.

Andressa Devillo e Carolina Montemor - Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda - Divulgação

Andressa Devillo e Carolina Montemor – Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda – Divulgação

Andressa Devillo e Isabela Crociolli - Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda - Divulgação

Andressa Devillo e Isabela Crociolli – Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda – Divulgação

Amanda Souza, Andressa Devillo e Verônica Brito - Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda - Divulgação

Amanda Souza, Andressa Devillo e Verônica Brito – Crédito da Foto Fotos Nelson Miranda – Divulgação

Continue lendo

Entretenimento

Revelado por projeto da CausArt, MC JL grava cenas do seu primeiro filme no Cinema

Publicado

em

De

Jovem foi o vencedor do festival de música Causando Arte,realizado em 2022 dentro do Projeto Escola Aberta em Senador Canedo

O prodígio MC JL deu outro passo importante na sua carreira artística nas últimas semanas ao gravar sua primeira participação como ator no filme “Inevitável”, média metragem dirigido por Jonathas Veloso e com produção de Eduardo Rosário. O pequeno rapper é um talento revelado pela CausArt, Organização Não Governamental dirigida pelo cantor, ator e produtor cultural Donato no Relato, que em 2022, vencedor do festival de música Causando Arte, que foi realizado em 2022 dentro do Projeto Escola Aberta em Senador Canedo.

Entre os prêmios conquistados por MC JL, estava a gravação de um clipe com MC Danielzin, concretizado na canção “Tem que Estudar”. Agora, os dois novamente contracenam juntos na produção cinematográfica. Donato fala com orgulho da trajetória de JL, o primeiro perseverante da CausArt, que tem como propósito mostrar às crianças da periferia, que sonhos são possíveis.

A iniciativa inédita em Senador Canedo foi a primeira da instituição CausArt, com o objetivo de despertar entre as crianças e adolescentes a importância da arte na construção do caráter de cada uma delas. “Ver o brilho nos olhos deles é o que motiva esse trabalho social, que só está começando”, declara Donato, ao lembrar que o jovem já ganhou seu primeiro cachê trabalhando como artista.

MC JL já tem clipe gravado da música “Tem que Estudar” , escrita por Donato em parceria com o músico Dayran. A história reflete sobre a importância da escola na vida das crianças e foi gravada com MC Danielzin, filho do rapper. O clipe teve também a contribuição dos alunos da Escola Municipal Abdon Ferreira de Carvalho, em Senador Canedo, que serviu de cenário.

Continue lendo

Entretenimento

Davy Klaus: O artista que moldou sua trajetória musical através da conexão com a alma e o amor pela música

Publicado

em

De

Por Isabela Oliveira, Jornalista

Davy Klaus, uma figura marcante no cenário musical brasileiro, tem sua trajetória moldada desde o início em um lar cristão, onde a música sempre foi mais do que uma expressão artística, era uma extensão da alma. Com uma voz que encanta e uma carreira que transcende fronteiras, Davy compartilha suas experiências e sua paixão pela música.

O início de sua jornada musical remonta à juventude, quando aos 13 anos de idade, Davy começou a cantar profissionalmente, inspirado pelo apoio caloroso de sua saudosa avó e seus pais. Desde então, sua agenda nunca deixou de estar movimentada, marcando presença nos grandiosos congressos das assembleias de Deus no estado do Rio de Janeiro, além de performances emocionantes em casamentos e formaturas.

Davy Klaus não é apenas um cantor, é um artista que busca aperfeiçoamento constante. Durante um período, dedicou-se a aulas de técnica vocal com a renomada cantora Raquel Mello, e encontrou inspiração em ícones musicais como Whitney Houston, Mariah Carey, Jennifer Hudson e David Phelps.

Ao ser questionado sobre seu estilo musical, Davy se autodefine como eclético. Sua escolha de músicas reflete não apenas um gosto pessoal, mas uma conexão emocional profunda. Nos seus álbuns, ele gravou canções que o impactaram, garantindo que cada nota transmita autenticidade. Em seus vídeos cover, seja em igrejas ou eventos, Davy imprime sua interpretação única, recusando-se a imitar outros artistas. Decorando as letras, ele as interpreta à sua maneira, destacando sua verdade artística.

Aos 20 anos, Davy Klaus lançou seu primeiro CD solo, uma obra que o levou a viajar pelo Brasil e pelo exterior, divulgando sua música. Em 2008, realizou sua primeira turnê na Europa, apresentando-se em locais como Barcelona, Bélgica, Suíça e Portugal.

Oito anos depois, em 2010, Davy surpreendeu seu público com o lançamento de “Somente Um”, um CD eclético e oposto ao seu trabalho anterior. Com regravações significativas, como ‘Adoração’ de Gastão Martins e o clássico ‘Tu és Fiel’, o álbum contou com participações especiais das talentosas Kelly Blima e Beatriz na emocionante música ‘Amigo Certo’.

Além de sua carreira solo, Davy Klaus desempenhou papéis importantes nos bastidores da música gospel. Como assessor artístico de Beatriz e da renomada cantora Shirley Carvalhaes, ele mergulhou nos desafios de organizar agendas e participar de turnês por todo o Brasil.

Hoje, as melodias de Davy estão disponíveis no YouTube e em diversas plataformas digitais, tornando-se acessíveis a um público cada vez mais amplo. Embora não tenha planos imediatos de lançar conteúdo autoral, Davy Klaus já antecipa sua próxima empreitada: uma série de vídeos covers programados para 2024, prometendo continuar emocionando seus fãs com sua voz autêntica e seu talento inigualável. Davy Klaus, uma voz que não apenas canta, mas ressoa nos corações daqueles que têm o privilégio de ouvi-lo.

Continue lendo

Destaque